LIBERDADE

1990 - CBS - CD (850.117/2 – 464.167)
1990 - CBS - LP (177.247/1 – 464.167)
1990 - CBS - K7 (77.247/4 – 464.167)
Produzido por Mazzola para
MZA Productions
Co-produzido por Simone
Remixado no Estúdio Impressão Digital - Rio de Janeiro
Engenheiro de Mixagem - Mazzola
Auxiliares Técnicos de Mixagem - Marcelo Sabóia e Eduardo Costa
Masterizado na MASTERDISC - New York
Faixa ‘Liberdade’ produzida por Sergio Carvalho,
gentilmente cedido por Verve/ Polygram Records Inc.
 
Capa:
Criação e produção: Ísis de Oliveira
Foto: Indalécio Wanderley
Brincos: Antonio Bernardo
Dir. Arte: Carlos Nunes
Cabelo: Carlos Armando
Maquiagem: Gilles
Compartilhe esta página:
Tudo o que o amor me deu
Aconteceu sem querer
Mas dessa vez fui eu quem fez acontecer

Se me ensinou viver
Quase matou de amor
Por te querer demais vivi do que ensinou
Eu não mandei você chamar minha atenção
Eu me prendi e se soltou a minha inspiração

Meu amor

Ao me dizer que sim
Você me fez quem sou
A liberdade de te amar me libertou
Eu aprendi que no amor não é preciso se jogar
Mas quando a gente joga não quer perder
E quem diz que o amor é carta marcada acertou
Ninguém vai separar as vidas que a vida embaralhou
Sou feliz porque só quis apostar em nós dois
A sorte me sorriu
Já temos um passado pra lembrar depois
Eu não mandei você chamar minha atenção
A liberdade de te amar me libertou da solidão
Soltou a minha inspiração, meu amor
Meu grande amor

Teclados: César Camargo Mariano
Guitarra: Natan Marques
Baixo: Arthur Maia
Bateria: Serginho Roupa Nova
Sax Soprano: Leo Gandelman
Arranjo: Cesar Camargo Mariano

Leo Gandelman artista gentilmente cedido pela Polygram
No seu corpo é que eu encontro
Depois do amor o descanso
E essa paz infinita
No seu corpo minhas mãos
Se deslizam e se firmam
Numa curva mais bonita

No seu corpo meu momento
É mais perfeito
E eu sinto o seu peito
No meu coração bater
E no meio desse abraço
É que eu me amasso
E me entrego pra você

E continua a viagem
No meio dessa paisagem
Onde tudo me fascina
E me deixo ser levado
Por um caminho encantado
Que a natureza me ensina
E embora eu já conheça bem
Os seus caminhos
Me envolvo e sou tragado
Pelos seus carinhos
E só me encontro
Se me perco no seu corpo

Bateria: Paulinho Braga
Baixo: Jorjão
Piano Yamaha e Teclados: Cesar Camargo Mariano
Guitarra: Natan Marques
Percussão: Ohana
Flauta e Sax: Paulo Lieberman
Arranjo e Regência de Base: Cesar Camargo Mariano
Arranjo e Regência de Cordas: Jeremy Lubbock

Um amor
Ou um gen da mesma cor
Cintila em mim
O chão a tremer
conduz a luz

Meu amor
E quer me matar de amor
Que seja assim
Por obedecer viver por mim

E voar
Onde o longe é pouco
cruzar os muros do além
E assim pousar na terra

E amar
Muito mais que poucos
Pousar a vida em tuas mãos
E assim cruzar a terra

Liberdade,vai na poesia
Traz meu destino
Que eu vou sair

E voar
Onde o longe é pouco
cruzar os muros do além
E assim pousar na terra

E amar
Muito mais que poucos
Pousar a vida em tuas mãos
E assim cruzar a terra
E amar

Arranjo: Djavan
Yamaha CP-70: Cristovão Bastos
Oberhelm e Korg Polysix: Lincoln Olivertti
Guitarra Base: Djavan
Guitarra Solo: Natan Marques
Baixo: Jorjão
Bateria: Picolé

Ninguém mexe assim comigo
Nem esfrega em minha cara
Todos esses meus defeitos
Com tanta polidez

Nem ninguém me olha assim
Ninguém vê, dentro de mim
Ninguém entra em minha vida
Pra se alojar de vez

Ninguém vai guardar meus medos
A sete chaves e cadeados
Ninguém mais tem tanto zelo
E nem mais tanto cuidado

Ninguém brinca tanto e mais
Com a minha lucidez
Como você fez
Como você faz

Bateria Yamaha: Teo Lima
Baixo: Jorjão
Piano Acústico: Cristovão Bastos
Percussão: Clodoaldo
Piano Fender: Alberto Rosenblit
Arranjo de Base: Cristovão Bastos
Arranjo de Cordas: Chiquinho de Moraes

O amor é mestre na arte de iludir
Armadilhas arma pra quem sonha ser feliz
O amor adora brincar, ele adora fingir

O amor, que mora na rua do coração
Tem uma vizinha de quarto, é a paixão
É bom saber nessa casa
Onde andar, onde estar, quem seguir

Pois o amor se esconde atrás de uma canção
E quem aparece pra gente é a paixão
A paixão é o lado nervoso do amor
A paixão que beija é a mesma que nos vai cuspir

A paixão é boca sedenta que quer tudo para si
É fogo do prazer
É brasa do sofrer

Mas amor que é mestre se torna um aprendiz
Com a paixão se envolve e agora se diz feliz
Assim a história tem esse final
Com amor e paixão
É que a gente
Vai ser feliz

Bateria Yamaha: Teo Lima
Baixo: Jorjão
Guitarra: Natan
Piano: Cristovão Bastos
Percussão: Robertinho Silva, Clodoaldo
Yamaha DX7: Juno Ricardo Leão
Sax e Flauta: Paul Lieberman
Palmas: Ricardo Mazola e Cristovão Bastos
Arranjo de Base: Cristovão Bastos
Arranjo de Cordas: Chiquinho de Moraes

Rua, espada nua
Bóia no céu, imensa e amarela
Tão redonda, a lua
Como flutua
Vem navegando
o azul do firmamento
E num silêncio lento
Um trovador, cheio de estrelas
Escuta agora a canção que eu fiz
Pra te esquecer, Luiza
Eu sou apenas um pobre amador
Apaixonado
Um aprendiz do teu amor
Acorda, amor
Que eu sei que embaixo desta neve
Mora um coração
Vem cá, Luiza
Me dá tua mão
O teu desejo é sempre o meu desejo
Vem, me exorciza
Dá-me tua boca
E a rosa louca
Vem me dar um beijo
E um raio de sol
Nos teus cabelos
Como um brilhante que partindo a luz
Explode em sete cores
Revelando então os sete mil amores
Que eu guardei somente
Pra te dar, Luiza
 
Piano e Voz: Tom Jobim
Arranjo de Cordas: Jaques Morelembaum
Gravado no estúdio Hit Factory - New York
Só eu sei
As esquinas
Por que passei
Só eu sei
Só eu sei
Sabe lá
O que é não ter
E ter que ter
Pra dar
Sabe lá
Sabe lá
E quem será
Nos arredores do amor
Que vai saber reparar
Que o dia nasceu

Só eu sei
Os desertos
Que atravessei
Só eu sei
Só eu sei
Sabe lá
O que é morrer de sede
Em frente
Ao mar
Sabe lá
Sabe lá

E quem será
Na correnteza do amor
Que vai saber se guiar
A nave em breve
Ao vento vaga
De leve e traz
Toda paz
Que um dia
O desejo levou

Só eu sei
As esquinas
Por que passei
Só eu sei
Só eu sei

Bateria: Picolé
Baixo: Jorjão
Guitarra: Natan
Piano Yamaha: Cristovão Bastos
Roland JX8P: Ricardo Leão
Yamaha DX7: Alberto Rosenblit
Sax: Paul Lieberman
Percussão: Clodoaldo
Arranjo de Base: Cristovão Bastos
Arranjo de Cordas: Chiquinho de Moraes

Vem se mostrar, vem me convencer
Traz seus bons olhos pr'eu ver
Vem me buscar, vem me seduzir
Que estou pronto pra ir
Vem me encantar, me tirar dos confins
Fazer festa pra mim
Vem coração
Acender meus balões, minhas paixões

Vem afastar as assombrações
Arejar meus porões
Vem acalmar os meus vendavais
Meus temores, meus ais
Vem e me faz cada vez mais audaz
Cada vez mais capaz
De acreditar
Que ainda posso tentar continuar

Lutar, lutar, lutar
Pra gente ser feliz
Cantar, cantar, cantar
Como a gente sempre quis

Anda, quero te dizer nenhum segredo
Falo desse chão, da nossa casa
Vem que tá na hora de arrumar

Tempo, quero viver mais duzentos anos
Quero não ferir meu semelhante
Nem por isso quero me ferir

Vamos precisar de todo mundo
Pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova
Vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado
E quem não é tolo pode ver

A paz na Terra, amor,
O pé na terra
A paz na Terra, amor,
o sal da terra

És o mais bonito dos planetas
Tão te maltratando por dinheiro
Tu que és a nave nossa irmã

Canta, leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com teus frutos,
Tu que és do homem a maçã

Vamos precisar de todo mundo
Um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças
É só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora
Para merecer quem vem depois

Deixa nascer o amor
Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor
Deixa viver o amor
(O sal da Terra)

Liberdade, liberdade
Abre as asas sobre nós
E que a voz da igualdade
Seja sempre a nossa voz
Liberdade, liberdade
Abre as asas sobre nós
E que a voz da igualdade
seja sempre a nossa voz

O que será o amanhã
Como vai ser o meu destino
Já desfolhei o mal-me-quer
Primeiro amor de um menino
E vai chegando o amanhecer
Leio a mensagem zodiacal
E o realejo diz
Que eu serei feliz
Sempre feliz
Como será o amanhã

Liberdade, liberdade
Responda quem puder
Abre as asas sobre nós
O que irá me acontecer
E que a voz da igualdade
O meu destino será
Como Deus quiser
Seja sempre a nossa voz

Como será o amanhã
Liberdade, liberdade
Responda quem puder
Abre as asas sobre nós
O que irá me acontecer
E que a voz da igualdade
O meu destino será
como Deus quiser
Seja sempre a nossa voz

A cigana leu o meu destino
Eu sonhei
Bola de cristal,
Jogo de búzios,
Cartomante
Eu sempre perguntei
O que será o amanhã
Como vai ser o meu destino
Já desfolhei o mal-me-quer
Primeiro amor de um menino
E vai chegando o amanhecer
Leio a mensagem zodiacal
E o realejo diz
Que eu serei feliz
Sempre feliz
O meu coração ateu quase acreditou
Na tua mão que não passou de um leve adeus
Breve pássaro pousado em minha mão
Bateu asas e voou

Meu coração por certo tempo passeou
Na madrugada procurando um jardim
Flor amarela, flor de uma longa espera
Logo meu coração ateu

Se falo em mim e não em ti
É que nesse momento
Já me despedi
Meu coração ateu
Não chora e não lembra
Parte e vai embora

Bateria: Paulinho Braga
Baixo: Luizão
Teclados: DX72, DX7, DX1, TX816, Prophet: Don Grusin
Guitarra: Natan Marques
Percussão: Clodoaldo
Arranjo e Regência de Base: Don Grusin
Arranjo e Regência de Cordas: Jeremy Lubbock

Pra que mentir
Fingir que perdoou
Tentar ficar amigos sem rancor
A emoção acabou
Que coincidência é o amor
A nossa música nunca mais tocou
 
Pra que usar de tanta educação
Pra destilar terceiras intenções
Desperdiçando o meu mel
Devagarzinho, flor em flor
Entre os meus inimigos, Beija-flor
 
Eu protegi  teu nome por amor
Em um codinome, Beija-flor
Não responda nunca, meu amor
Pra qualquer um na rua, Beija-flor
 
Que só eu que podia
Dentro da tua orelha fria
Dizer segredos de liquidificador
 
Você sonhava acordada
Um jeito de não sentir dor
Prendia o choro
E aguava o bom do amor
 
Teclados: César Camargo Mariano
Guitarra: Torcuato
Baixo: Décio
Bateria: Marcelo
Arranjo: Cesar Camargo Mariano
Eu vou lhe deixar a medida do Bonfim
Não me valeu
Mas fico com o disco do Pixinguinha, sim?
O resto é seu

Trocando em miúdos, pode guardar
As sobras de tudo que chamam lar
As sombras de tudo que fomos nós
As marcas de amor nos nossos lençóis
As nossas melhores lembranças

Aquela esperança de tudo se ajeitar
Pode esquecer
Aquela aliança, você pode empenhar
Ou derreter
Mas devo dizer que não vou lhe dar
O enorme prazer de me ver chorar
Nem vou lhe cobrar pelo seu estrago
Meu peito tão dilacerado

Aliás, aceite uma ajuda do seu futuro amor
Pro aluguel
Devolva o Neruda que você me tomou
E nunca leu
Eu bato o portão sem fazer alarde
Eu levo a carteira de identidade
Uma saideira, muita saudade
E a leve impressão de que já vou tarde

Bateria: Paulinho Braga
Baixo: Jorjão
Piano  Korg, Teclados: Cristovão Bastos
Guitarra : Natan Marques
Percussão, efeitos: Robertinho Silva
Flauta: Paul Lieberman
Arranjo e Regência de Base: Cristovão Bastos

+

Fonograma do álbum ‘Sedução’, 1988

++

Fonograma do álbum ‘Vício’, 1987

+++

Fonograma do álbum ‘Delírios, Delícias’, 1983

#

Fonograma do álbum ‘Amor e Paixão’, 1986

##

Fonograma do álbum ‘Simone’, 1989

###
*

Fonograma do álbum ‘Corpo e Alma’, 1982
Faixas incluídas apenas no CD