PEDAÇOS

1979 - EMI-ODEON - LP (31C 064 422848D)
1979 - EMI-ODEON - K7 (31C 264 422848)
1988 - EMI - CD (M748562 2)
Violinos: Pareshi (Spala), Vidal, Walter Hack, Carlos Eduardo Hack, Lana, Francisco Perrotta, Piersanti, Luiz Carlos, Astrogildo,  Marcelo Pompeu,  Wilson Teodoro, Virgílio Arraes
Violas: Penteado, Nelson Macedo, Stephany, Nathércia
Cellos: Watson, Alceu, Iura, Bariola

O povo que pintou nas gravações:
Rege, Mário, Claudinho, Gaya, Claudinho, Tovar, Bituca, Sonia, Paulinho Pinheiro,Ivan Lins, Lucinha, Vitor Martins, Moacir Machado, Christiane Torlone, Abel Silva, Maurício Tapajós, Sueli Costa, Lessa, Fernando Eiras, Lu, Ronaldo Bastos, Elda, Sandra Pera, Tunai, Bebeto, Beto, Kassu, Lelé, Rafa, Alexandre, Toninho do Som
Cafezinho: Seu Nonato

Produtor Fonográfico: EMI-ODEON
Direção de Produção: Renato Corrêa
Foto: Fernando Carvalho
Capa: Noguchi

Compartilhe esta página:
Lado A
Começar de novo
E contar comigo
Vai valer a pena
Ter amanhecido
Ter me rebelado
Ter me debatido
Ter me machucado
Ter sobrevivido
Ter virado a mesa
Ter me conhecido
Ter virado o barco
Ter me socorrido
Começar de novo
E contar comigo
Vai valer a pena
Ter amanhecido
Sem as tuas garras
Sempre tão seguras
Sem o teu fantasma
Sem tua moldura
Sem tuas escoras
Sem o teu domínio
Sem tuas esporas
Sem o teu fascínio
Começar de novo
E contar comigo
Vai valer a pena
Já ter te esquecido
Começar de novo
 
Arranjo e Regência: Gilson Peranzzetta
Piano Acústico e Elétrico: Gilson Peranzetta
Baixo: Ivani Sabino
Guitarra: Alemão (Olmir Stocker)
Percussão: Chico Batera
Cello: Alceu de Almeida Reis
Técnicos: Mairton (base e voz)
Nivaldo (mixagem)
Se você crê em Deus
Erga as mãos para os céus
E agradeça
Quando me cobiçou
Sem querer acertou
Na cabeça
Eu sou sua alma gêmea
Sou sua fêmea
Seu par, sua irmã
(Eu sou seu incesto) seu jeito, seu gesto
Sou perfeita porque
Igualzinha a você
Eu não presto
Eu não presto

Traiçoeira e vulgar
Sou sem nome e sem lar
Sou aquela
Eu sou filha da rua
Eu sou cria da sua
Costela
Sou bandida
Sou solta na vida
E sob medida
Pros carinhos seus
Meu amigo
Se ajeite comigo
E dê graças a Deus

Se você crê em Deus
Encaminhe pros céus
Uma prece
E agradeça ao Senhor
Você tem o amor
Que merece

Arranjo e Regência: Nelson Ayres
Piano Yamaha: Nelson Ayres
Baixo: Ivani Sabino
Guitarra: Alemão (Olmir Stocker)
Bateria: William Caram
Bongô: Chico Batera
Marimba: Pinduca (Luiz Anunciação)
Sax Alto: Roberto Sion
Técnicos: Toninho (base, cordas) Serginho (sax alto e marimba)
Franklin (voz) Nivaldo (mixagem)

Põe a mão na água
Põe a mão no fogo
Põe a mão na brasa do meu coração
 
Põe a mão na mágoa
Põe a mão no povo
Põe a mão na massa pra fazer o pão
 
Ponha fé na vida
Ponha o pé na estrada
Fale com quem fala o mesmo que você
Viva com o povo da raça Brasil
 
Venha para a rua ver o movimento
De João, Maria Tereza e José
Gente que nasceu, amou, sofreu aqui
Todo dia carregando a mesma cruz
 
Mate a minha sede
Mate a minha fome
Faça do meu corpo o seu corpo irmão
Com um nó bem dado como um cipó
Que ninguém consegue nunca desatar

Sonhe com um sonho
Que ninguém sonhara
Sonhe com um povo gêmeo siamês
Que nenhuma força pode separar
Que nasceu unido e unido vai viver

Arranjo e Regência: Gilson Peranzetta
Piano Elétrico: Gilson Peranzetta
Baixo: Jamil Joanes
Violão: Milton Nascimento
Bateria: Robertinho Silva
Xéquere e Tumbadora: Ubiratan
Surdo a Agogô: Robertinho Silva
Coro: Zé Luiz, Márcio Lott, Roberto, Marizinha, Regininha, Regina, Luna
Palmas: Lessa, Toninho, Renatinho, Eu e todo o pessoal do coro
Técnicos: Toninho (base, coro) Nivaldo (mixagem)

Ah, meu amor, estamos condenados
Nós já podemos dizer que somos um
Nós somos um
E nessa fase do amor
Em que se é um
É que perdemos a metade cada um

Ah, meu amor, estamos mais safados
Hoje tiramos mais proveito do prazer
E somos um
Quando dormimos juntos, sonhos separados
Que nós não vamos confessar
De modo algum

Ah, meu amor, ah, meu amor
Quantas pequenas traições
Pobres mentiras diplomáticas
De puras intenções
(Estamos condenados)

Ah, meu amor, de discretos pecados
Formamos esse ser tão uno divisível
Parece incrível
Que nós tentemos que ele dure eternamente
Nessas metades incompletas
Mas decentes

Arranjo e Regência: Nelson Ayres
Piano Elétrico: Nelson Ayres
Baixo: Ivani Sabino
Guitarra: Alemão (Olmir Stocker)
Bateria: William Caram
Técnicos: Toninho (base) Franklin (voz) Nivaldo (mixagem)

Eu quero ter a sensação das cordilheiras
Desabando sobre as flores inocentes e rasteiras
Eu quero ver a procissão dos suicidas
Caminhando para a morte pelo bem de nossas vidas
Eu quero crer na solução dos evangelhos
Obrigando os nossos moços ao poder dos nossos velhos
Eu quero ser o coração dos comandantes
Condenando os seus soldados pela orgia dos farsantes

Eu quero apenas ser cruel naturalmente
E descobrir onde o mal nasce e destruir sua semente

Eu quero ter a sensação das cordilheiras
Desabando sobre as flores inocentes e rasteiras
Eu quero ser da legião dos grandes mitos
Transformando a juventude num exército de aflitos
Eu quero ver a ascensão de Iscariotes
E no sábado um Jesus crucificado em cada poste
Eu quero ser na sagração dos estandartes
Uma frase escrita a fogo pelo punho de Deus-Marte

Desabando sobre as flores
Caminhando para a morte
Obrigando os nossos moços
Condenando os seus soldados
Transformado a juventude
Um Jesus crucificado
Eu quero ter a sensação das cordilheiras

Arranjo: Nelson Ayres
Piano Yamaha: Nelson Ayres
Piano Elétrico: Nelson Ayres
Baixo: Ivani Sabino
Guitarra: Alemão (Olmir Stocker)
Bateria: Willian Caram
Caixa: Robertinho Silva
Técnicos: Toninho (base e cordas) Nivaldo (mixagem, voz)

Você foi o maior dos meus casos
De todos os abraços,
O que eu nunca esqueci
Você foi dos amores que eu tive
O mais complicado
E o mais simples pra mim
Você foi o melhor dos meus erros
A mais estranha história
Que alguém já escreveu
E é por essas e outras
Que a minha saudade faz lembrar
De tudo outra vez

Você foi a mentira sincera
Brincadeira mais séria
Que me aconteceu
Você foi o caso mais antigo
O amor mais amigo
Que me apareceu
Das lembranças que eu trago na vida
Você é a saudade que eu gosto de ter
Só assim sinto você bem perto de mim outra vez

Esqueci de tentar te esquecer
Resolvi te querer por querer
Decidi te lembrar quantas vezes
Eu tenha vontade sem nada perder

Ah...
Você foi toda felicidade
Você foi a maldade que só me fez bem
Você foi o melhor dos meus planos
E o maior dos enganos que eu pude fazer
Das lembranças que eu trago na vida
Você é a saudade que eu gosto de ter
Só assim sinto você bem perto
De mim outra vez...

Arranjo e regência: Nelson Ayres
Piano Acústico: Nelson Ayres
Piano Elétrico: Nelson Ayres
Baixo: Ivani Sabino
Guitarra: Alemão (Olmir Stocker)
Bateria: Willian Caram
Flauta em Sol: Copinha, Jorginho
Flauta Baixo: Celso Woltzenlogel
Técnicos: Mairton (base) Serginho (flautas) Toninho (voz) Nivaldo (mixagem)

Lado B
Crianças nos claros da tarde
Cachorros na boca da noite
Os galos nos dentes do dia
Cada desejo é um açoite
Eu nunca volto nem vou
Apenas sou

Aberta aquela janela
Esse peito estrangulado
O que não digo me queima
Não satisfaz o falado
Não te odeio nem te amo
Apenas chamo

Viaja o vento nordeste
Cavalo do meu segredo
Se estás comigo, distraio
Se vais, eu morro de medo

Eu não me lembro, nem esqueço
Adormeço

Arranjo e Regência: Gilson Peranzetta
Piano Elétrico: Gilson Peranzetta
Oboé: Braz Limongi
Sax Soprano: Roberto Sion
Técnicos: Mairton (voz, piano, sax soprano), Serginho (oboé)
Toninho (cordas) Nivaldo (mixagem)

Você foi saindo de mim
Com palavras tão leves
De uma forma tão branda
De quem partiu alegre

Você foi saindo de mim
Com sorriso impune
Como se toda faca
Não tivesse dois gumes

Você foi saindo de mim
Devagar e pra sempre
De uma forma sincera
Definitivamente

Você foi saindo de mim
Por todos os meus poros
E ainda está saindo
Nas vezes em que choro
Nas vezes em que choro

Arranjo e Regência: Gilson Peranzzetta
Piano Acústico: Gilson Peranzzetta
Piano Elétrico: Gilson Peranzzetta
Baixo: Ivani Sabino
Violão: Hélio Delmiro
Bateria: Willian Caram
Flauta Baixo: Celso Woltzenlogel
Flauta Baixo Solo: Danilo Caymmi
Técnicos: Mairton (base) Toninho (violão, flauta)
Serginho (flauta) Nivaldo (mixagem)

Pode ir armando o coreto
E preparando aquele feijão preto
Eu tô voltando

Põe meia dúzia de Brahma pra gelar
Muda a roupa de cama
Eu tô voltando

Leva o chinelo pra sala de jantar
Que é lá mesmo que a mala eu vou largar
Quero te abraçar
Pode se perfumar
Porque eu tô voltando

Dá uma geral, faz um bom defumador
Encha a casa de flor
Que eu tô voltando

Pega uma praia aproveita tá calor
Vai pegando uma cor
Que eu tô voltando

Faz um cabelo bonito pra eu notar
Que eu só quero mesmo é despentear
Quero te agarrar
Pode se preparar
Porque eu tô voltando

Põe pra tocar na vitrola aquele som
Estréia uma camisola
Eu tô voltando

Dá folga pra empregada
Manda a criançada pra casa da vó
Que eu tô voltando

Diz que eu só volto amanhã se alguém chamar
Telefone não deixa nem tocar
Quero la la iá
la la iá iá iá
Porque eu tô voltando

Arranjo e Regência: Nelson Ayres
Piano Acústico: Nelson Ayres
Piano Elétrico: Nelson Ayres
Baixo: Ivâni Sabino
Violão: Alemão (Olmir Stocker)
Bateria: Willian Caram
Cavaquinho: Alceu
Tamborins: Luna, Elizeu, Marçal
Surdo: Gordinho
Reco-reco: Luna
Ganzá: Gordinho
Cuíca: Marçal
Trombone: Ed Maciel
Agogô: Elizeu
Coro: Zé Luiz, Márcio Lott, Roberto, Marizinha, Regininha, Regina, Luna
Técnicos: Toninho (base e voz) Serginho (trombone)
Franklin (cuíca e voz final) Nivaldo (mixagem)

No meio do meu caminho
Sempre haverá uma pedra
Plantarei a minha casa
Numa cidade de pedra

Itamarandiba pedra corrida
Pedra miúda rolando sem vida
Como é miúda e quase sem brilho
A vida do povo que mora no vale

No caminho dessa cidade
Passarás por Turmalina
Sonharás com Pedra Azul
Viverás em Diamantina

No caminho dessa cidade
As mulheres são morenas
Os homens serão felizes
Como se fossem meninos

Arranjo e Regência: Gilson Peranzzetta
Piano Acústico: Gilson Peranzzetta
Baixo: Jamil Joanes
Guitarra: Hélio Delmiro
Violão: Milton Nascimento
Bateria: Robertinho Silva
Acordeon: Gilson Peranzzetta
Coro: Zé Luiz, Márcio Lott, Ronaldo, Roberto, Marizinha, Regininha, Regina e Luna
Voz solo: Marizinha e Simone
Técnicos: Toninho (base, coro) Franklin (voz) Nivaldo (mixagem)

Oh, pedaço de mim
Oh, metade afastada de mim
Leva o teu olhar
Que a saudade é o pior tormento
É pior do que o esquecimento
É pior do que se entrevar
Oh, pedaço de mim
Oh, metade exilada de mim
Leva os teus sinais
Que a saudade dói como um barco
Que aos poucos descreve um arco
E evita atracar no cais
Oh, pedaço de mim
Oh, metade arrancada de mim
Leva o vulto teu
Que a saudade é o revés de um parto
A saudade é arrumar o quarto
Do filho que já morreu
Oh, pedaço de mim
Oh, metade amputada de mim
Leva o que há de ti
Que a saudade dói latejada
É assim como uma fisgada
No membro que já perdi
Oh, pedaço de mim
Oh, metade adorada de mim
Leva os olhos meus
Que a saudade é o pior castigo
E eu não quero levar comigo
A mortalha do amor
Adeus

Arranjo, Orgão e Sino: Gilson Peranzetta
Técnicos: Mairton (base) Toninho (sino) Nivaldo (mixagem)