SIMONE

1973 - ODEON - LP (SMOFB 3763)
1981 - EMI-ODEON - LP (31 C 064 422843) Relançamento com outra capa
1981 - EMI-ODEON - K7 (31 C 064 422843)
2006 - EMI CD (378365 2) - Série: ‘Clássicos Odeon’
Produtor Fonográfico: Ind.Elet.e Musicais Fábrica Odeon. S.A
Diretor de produção: Milton Miranda
Diretor musical: Maestro Gaya
Assistentes de produção: Elô e Paulo Leivas
Orquestrador e Regente: Maestro José Briamonte
Diretor Técnico: Z.J.Merky
Técnico de Gravação: Zilmar Araújo
Técnico de Laboratório: Willy Paiva Moreira
Lay-out: Joselito
Fotos: Paulo Leivas
Compartilhe esta página:
Lado A
Se o dia não fosse de chuva
Morena ia sair e passear suas curvas por aí, por aí
Ia correr a cidade, com seu sapato vermelho
A sua bolsa de pano, com roupa, troco e um espelho

Morena
A sua pintura seria feita pra denunciar
Que Morena só queria amar, amar e amar
Ia lançar pelas ruas, o seu olhar de paixão
De quem garante alegria, a quem garante o seu pão

Mas não,
As poças vão logo formando um rio
O quarto se afoga num vazio
E a vida não tem jeito não
Mas não
As poças vão logo formando um rio
Morena
O quarto ficando frio
Morena
E a vida sem solução

Um caminho só
Que vai dar no sol
Onde o corpo, a mente, as mãos
Em liberdade vão
Por um Deus que é meu
Sigo cego como herói
E o meu Deus destrói as hostes inimigas
É um sonho a mais
Que o real desfaz
Mas as minhas mãos não têm poder
Só ambição
E o Deus que é meu não tem tempo pra mudar
Esta invasão de angústia e de perigo
Compreendo Deus
Me perdoe, Deus,
Amém
Quero esquecer o quanto já provei e já perdi
O quanto me enganei e me venci
Enquanto procurava por você
Quero renascer e ver o mundo livre que eu não via
E ver que o mundo vive e eu não vivia
E nesse mundo eu descobri você
Quero conhecer meu ser capaz de amor
Capaz de amar
Quero todo ser um ser em paz
E em paz me dar
Quero amanhecer no fundo de um abraço
O meu espaço que eu desfaço agora
E existo em você
Maior que o meu amor
É a vontade de dizer que não te amo,
Que não te quero, não te peço e nem te chamo
Nas horas tristes de saudade de você

Eu sempre choro e ao mesmo tempo
Tento achar um só defeito
Que você tenha para eu encontrar um jeito
De não chorar e sentir raiva de você

Porque
Já não suporto mais
Viver tão longe de você sem esperança
Mas mesmo assim meu pobre coração não cansa
De me pedir pra que eu não tente lhe esquecer

Mas se você voltar
Direi sorrindo que já não me serve o seu amor
Só tenho medo que você, meu bem, perceba a dor
E a minha lágrima na hora do adeus

Com sol e chuva você sonhava
Que ia ser melhor depois
Você queria ser o grande herói das estradas
Tudo que você queria ser

Sei um segredo você tem medo
Só pensa agora em voltar
Não fala mais na bota e no anel de Zapata
Tudo que você devia ser, sem medo

E não se lembra mais de mim
Você não quis deixar que eu falasse de tudo
Tudo que você podia ser na estrada

Ah! Sol e chuva na sua estrada
Mas não importa não faz mal
Você ainda pensa e é melhor do que nada
Tudo que você consegue ser, ou nada

Bandeira branca amor
Não posso mais
Pela saudade que me invade
Eu peço paz

Saudade mal de amor, de amor
Saudade dor que dói demais
Vem meu amor bandeira branca
Eu peço paz

Lado B
Assim não dá
Assim não dá mais pé
É tanto tempo longe
Eu já nem sei quem você é
 
Sempre a nossa casa está vazia
Minhas noites são tão frias
Minha vida passa por passar
Fico assim sozinha o dia inteiro
Sua estrada, companheiro, bifurcou pra outro lugar
 
Assim não dá
Assim não dá mais pé
O seu negócio é curtição
O meu como é que é?
 
Seu caso é boemia
É madrugada
Mas cadê a empregada
Pra cuidar dos nossos filhos? - meus
É tanta coisa que separa o namorado
Do senhor mais bem casado
Que a música escolheu
 
Assim não dá,
Assim não dá mais pé
Você se esquece é de cantar sua mulher
Você se esquece é de cantar uma mulher
Você se esquece é de cantar esta mulher
Tô numa rua sem saída
Uma volta sem partida
Um encontro sem solução
Tô com você dentro do peito
E um desgosto satisfeito
Batendo no coração
 
Quem sabe a gente se encontra noutro lugar
Na rua, claro, onde um dia a gente vai morar
Acho que agora vai ser difícil, meu bem
Não perca o próximo encontro,
Mesmo horário, ano que vem
 
Tô sem nenhuma hora marcada
E uma vida inesperada vivendo dentro de mim
Tô com vontade de ir pra frente
Isso eu sei, você me entende
Nem sempre vai ser assim
Neném
Eu percebi quando te amei
Teu medo foi maior que o teu amor, neném

Neném
Abre o teu peito e diz pra mim
Tudo o que te faz temer assim

Neném
Dor que se guarda fere mais,
Faz medo, desespera e esfria o amor, neném

Meu bem
Faz do meu leito um sol pra nós
Faz da tua treva
O amanhecer
Vida é só uma estrada, e faz chegar
Aonde o teu amor puder
Vida é teu momento de entregar
É dentro do teu ser, mulher

Neném
Agora sim, num corpo só
Os nossos corpos sós
Vão se encontrar no amor
Amor, agora sim, eu vou te amar
Mais do que te amar, vou te saber

Assim
Meu colo acolhe a tua mão
E colhe em tua mão
O tato bom do amor
Assim
Meu braço estreita o nosso amor
Deita sobre o teu
O meu viver

Quero
E esse é o momento de alcançar
Vir junto e mergulhar no amor
Quero
Deixar no mundo do teu ser
no fundo do teu ser
O amor
Comigo agora
Vem
Vem, neném
Comigo agora

Antes das três do alfabeto
Últimas letras do pai do seu pai
Dezena é número certo
No remorso a gente cai
O que nunca foi bom, maneira
 
A pessoa que te fala
As três últimas de anão
E de chapéu de aba larga
Deseja ou tem afeição
 
O sinal de somar e nada
 
Afeição descontrolada
Depois do que é teu e meu
Nesta linha deu mais nada
E defeito é o que deu
 
Olho, noto, observo
Depois de uma negação
Não é esta, nem é essa
Nem aquela solução
 
Você desculpe o mau jeito
Mas isso não interessa a mais ninguém
E se eu falasse direito
Todo mundo ia entender
Meu bem
Por entre a rua
Chão e cimento já se fez manhã
Pela cidade a novidade é velha capitã
Me dá licença, vou querer dizer
Não se discute quando vou morrer
Na vida quem avisa, amigo é
E agora eu sei, agora eu sei

Já não me iludo
Não há mais tempo de andar em vão
Porém a pressa é velha amiga da imperfeição

Senhor, senhora, prestem atenção
Só quem vê cara, não vê coração
A hora agora é de afirmação
E eu me afirmei
Eu me afirmei
Chegou a hora, chegou a hora!

Chega!
Não há mais sentimento de amor
Chega!
Não suporto mais nada de ti
Chega!
Acabou-se ilusão para nós
E é tão comum o que existe acabar

Tudo!
Que eu tinha na vida te dei
Vou esquecer que um dia te amei
Deixa que eu tente sozinha
Recomeçar sem olhar para trás
Eu, vou viver novamente
Não quero ouvir nem falar de ti
Chega!
Não há mais sentimento de amor
É, esquecer...