SIMONE

1989 - CBS - CD (850.097/2 - 464127)
1989 - CBS - LP (177.217/1-464127)
1989 - CBS - K7 (4-464127/77217)
Cordas:
Músicos que participaram nas músicas,
‘Lígia’, ‘Luiza’, ‘Tudo por Amor’ e ‘ Tudo Bem’
 
Violinos: Giancarlo Parechi (spalla), José Alves,
Michel Bessler, Bernardo Bessler, Jorge Faini,
Alfredo Vidal, Leo Fabrizio Ortiz, Luis Carlos
Marques, Aizik Geller, Carlos E.Hack, Walter
Hack, Paschoal Perrota
Viola: Frederich Stephany, Arlindo Penteado,
Jesuína Passaroto, Marie Cristine Springer
Bessler
Cello: Alceu Reis, Luiz Fernando Zamith,
Marcio Malard, Jorge Ranevsky
Baixo Acústico: Denner de Castro Campolina
Arregimentador: José Alves da Silva

Produzido por Mazzola
Co-produzido por Simone
Produzido por Mazzola para MZA Productions
Assistência artística: Eva Straus
Assistência de Produção: Antonio Foguete
Estúdio de gravação: Impressão Digital Studios
Rio de Janeiro - Brasil
 
Engenheiro de gravação: Eduardo Costa
Engenheiro de mixagem: Mazzola
Assistente técnico de mixagem: Eduardo Costa
Auxiliares de gravação e mixagem: Geraldo
Iaia, Cláudio Espirro, Antonio Foguete
Arregimentador: Ronaldo Monteiro
Corte: Élio Gomes
Idealização e Produção da Capa: Ísis de Oliveira
Fotos: Indalécio Wanderley
Direção de Arte: Carlos Nunes
Brincos: Antonio Bernardo
Cabelo: Carlos Armando
Maquiagem: Gilles

Compartilhe esta página:
Que venha essa nova mulher
de dentro de mim,
Com olhos felinos felizes
e mãos de cetim
E venha sem medo das sombras
que rondam o meu coração,
E ponha nos sonhos dos homens
A sede voraz da paixão

Que venha de dentro de mim
ou de onde vier,
Com toda malícia e segredos
que eu não souber
Que tenha o cio das corças
e lute com todas as forças,
Conquiste o direito de ser
uma nova mulher

Livre, livre, livre para o amor
quero ser assim, quero ser assim
Senhora das minhas vontades
E dona de mim

Bateria: Paulo Braga
Baixo Fletless: Jamil Joanes
Teclados. Ricardo Leão
Percussão: Mingo
Fingersnap chequer: Mazzola
Concepção do Arranjo: Julinho Teixeira
Arranjo de base: Ricardo Leão, Victor Chicri
Arranjo de cordas: Chiquinho de Moraes

Nada do que eu fiz foi por acaso
Tantas coisas fiz por te querer
Aceitei até ser o teu caso
Pra poder ficar mais perto de você
Todo amor é sempre egoísta
Eu fui tomando posse de você
Não há corpo que resista ao desejo
Eu sei que te tentei
Fiz tudo e te ganhei
Que importa essa moral que me condena
Se eu estou apaixonado por você
 
Tudo por amor
tudo por você
Que culpa eu tenho de te amar assim
Tudo por amor
Tudo por você
Deixei meu coração falar por mim
Deixei meu coração falar por mim
 
Quantas vezes eu te imaginava
E abafava o amor no coração
Quantas noites eu te desejava
Explodia no meu peito essa paixão
Mas se a gente ama não tem jeito
Faz loucura, perde a razão
Faz de conta que o errado está direito
Se esquece de pensar,
se envolve na emoção
Que importa essa moral que me condena
Se eu estou apaixonada por você
Tudo por amor
 
Bateria: Paulo Braga
Baixo: Jorjão
Guitarra: Torquato
Teclados: Ricardo Leão
Programação de teclados: Victor Chicri/ Ricardo Leão
Arranjo de base: Ricardo Leão
Arranjo de cordas: Chiquinho de Moraes
Rua, espada nua
Bóia no céu, imensa e amarela
Tão redonda, a lua
Como flutua
Vem navegando
o azul do firmamento
E num silêncio lento
Um trovador, cheio de estrelas
Escuta agora a canção que eu fiz
Pra te esquecer, Luiza
Eu sou apenas um pobre amador
Apaixonado
Um aprendiz do teu amor
Acorda, amor
Que eu sei que embaixo desta neve
Mora um coração
Vem cá, Luiza
Me dá tua mão
O teu desejo é sempre o meu desejo
Vem, me exorciza
Dá-me tua boca
E a rosa louca
Vem me dar um beijo
E um raio de sol
Nos teus cabelos
Como um brilhante que partindo a luz
Explode em sete cores
Revelando então os sete mil amores
Que eu guardei somente
Pra te dar, Luiza
 
Piano e Voz: Tom Jobim
Arranjo de Cordas: Jaques Morelembaum
Gravado no estúdio Hit Factory - New York
A tua boca é uma flor que canta
O teu sorriso é música e perfume
E cada verso meu na tua boca santa
Me deixam os lábios doidos de ciúme

Cantar, pra ti, é profissão e vida
Canções pra mim são sangue, luz e ar
Você cantando faz com que meu verso exista
E eu te ouvindo sou a emoção de amar

Não és espelho meu
Não sou teu outro eu
Não sei se em outras eras
Eu era irmão
E tu, irmã

Só sei que se assim fosse, então seriam
Incestuosas, tua voz
e minha poesia

Bateria: Paulo Braga
Baixo: Jorjão
Guitarra: Vitor Biglione
Teclado: Wagner Tiso
Programação de Teclados: Ricardo Leão
Arranjo de base e cordas: Wagner Tiso

Vem dar vida a quem te ama

Me beija toda e me gama
Me ama mô
 
Gamação tensão tão boa
Com amor melhor que paz
Vida fica com mais vida
E a tristeza se retrai
Me ama

Vem dar vida a quem te ama

Me beija toda e me gama
Me ama
Meu amor quando me beija
Tem gosto de quero mais
Sou bebê querendo mãe
Mãezinha querendo pai
Me ama

Vem dar vida a quem te ama

Me beija toda e me gama
Me ama

Quero ser seu grande amor
Pra você minha paixão
Me deixar toda gamada
De cabeça e coração
Me ama Mô

Me ama
Me chama
Reclama
Me ama
Me gama
Me inflama
Me queima com a sua chama


Vem dar vida a quem te ama

Me beija toda e me gama
Me ama Mô

Criação e regência: Neguinho do Samba e sua turma
Efeito Percussão: Mingo
Arranjo e concepção rítmica: Mazzola
Gravado ao vivo no Pelourinho em 1988

Chico onde houver uma vida
Sua voz será ouvida
Como força de oração
do amor pela terra
Que não se encerra num coração
Sou mais um nessa guerra
Quebrando a serra da devastação
 
Me abraço à natureza
E a Deus peço Axé
Em louvor, a Chico Mendes
Sua luta, sua fé
Homem simples seringueiro
um valente brasileiro
Que ao mundo fez seu manifesto
Um protesto à crueldade e à tirania
das derrubadas das queimadas
É a Amazônia em agonia
que hoje chora a saudade
De Nova York a Xapuri ô ô
Do Oiapoque ao Chuí, xi!
Será que as coisas mudam por aqui?
Na Amazônia
a Amazônia ta virando zona
de liquidação
Sem cerimônia
matam e metem a mão
Na Amazônia
A Amazônia ta virando zona
de liquidação
sem cerimônia
matam sem perdão
um líder
 
Chico onde houver uma vida
Sua voz será ouvida
Como força de oração
do amor pela terra
Que não se encerra num coração
Sou mais um nessa guerra
quebrando a serra da devastação
A meu verde
Meu verde não é rabo de foguete
Vai tacar fogo no cacete
 
Teclados: Ricardo Leão
Introdução efeitos: Eduardo Costa, Mazzola
Efeitos, percussão: Mingo
Violão de 6 e 7 cordas: Jorge Simas
Cavaquinho: Marquinho Lessa
Bateria do G.R.E.S Caprichosos de Pilares:
Marcação: Luiz Cláudio, Alvinho, Paulo Nete,
Sangre, Tatão, Pingüim, Cláudio, Moises,
Valdijorge, Maurício,e Tunico
Repique: Pisca, Nilson, Zé Carlos, Carlos
Alberto, Ezio, Maurílio, Ubiraci Cristiano
Caixas: Aluízio, Jorge Luiz, Alberto Carlos,
Tuninho, Peixeiro, Serginho, Espião, Crispim,
Cacau, Quinha, Roberto Ribeiro, Satilio,
Ângelo e Jacaré
Tamborins: Edo, Jorginho, Marcio Rodnei,
Isaac, Pacheco, Mara, Maurelli, Geraldo, Luiz,
Antonio, Sergio, Paulo Renato, João Carlos,
Amaro, Hamilton, Alexandre, Douglas, Vitinho
Ganzás: Brandão, Virgílio, Edson, Vitória,
Nilma, Claudir
Regência: Mestre Paulinho
Arranjo de Base: Paulinho, Marquinho Lessa,
Jorge Simas, Simone, Mazzola
Arranjo: Marquinho Lessa
Gravado ao Vivo
Tá tudo bem
Estou tentando até achar um novo amor
Não vou ficar sozinha cultivando a dor
Você não me quer mais, eu tenho que aceitar
 
Mas por favor me deixe só acreditar
Nessas mentiras que eu insisto em te contar
Eu tenho que esconder
Que na verdade é só você que eu queria
 
Eu me defendo, me protejo de você
Mas lá no fundo tá difícil de viver
Eu nunca te esqueci
Eu faço tudo pra fingir que ainda sei sorrir
 
Tá tudo bem
A gente sempre acha um jeito de viver
Se eu não dormir à noite espero amanhecer
Se eu não souber sofrer, vou aprender
 
Tá tudo bem
Você não vê que eu ainda sei negar
E mesmo te querendo não vou te chamar
Consigo até dizer que não te amo
 
Volta pra mim, volta pra mim
Pensa em mim, pensa em mim
Volta pra mim, pensa em mim
 
Bateria: Paulo Braga
Baixo: Jorjão
Teclados: Ricardo Leão
Programação de Teclados: Victor Chicri/ Ricardo Leão
Arranjo de base: Ricardo Leão
Arranjo de Cordas: Chiquinho de Moraes
Eu nunca sonhei com você
Nunca fui ao cinema
Não gosto de samba,
não vou a Ipanema
Não gosto de chuva,
nem gosto de sol
   
E quando eu lhe telefonei,
desliguei, foi engano
Seu nome não sei
E esqueci no piano
as bobagens de amor
que eu iria dizer
Ligia, Ligia
   
Eu nunca quis tê-la a meu lado
num fim de semana
Um chope gelado
em Copacabana,
andar pela praia
até o Leblon
  
E quando eu me apaixonei
não passou de ilusão,
o seu nome rasguei
Fiz um samba canção
das mentiras de amor
que aprendi com você
Ligia, Ligia
  
E quando você me envolver
nos seus braços serenos
eu vou me render
Mas teus olhos morenos
me metem mais medo
que um raio de sol
Ligia, Ligia
 
Piano e Voz: Tom Jobim
Arranjo de cordas: Jaques Morelembaum
Gravado no estúdio Hit Factory - New York
Recordo bem aquele dia
De quando tudo começou
Olhares tanta melodia
E aí a tua mão, o meu calor

E então foi tanta euforia
pra um coração navegador
Perdidos em noites tão vazias
cansado de ser só o que passou

Te conhecer, me achar,
foi o tempo que nos revelou
Rir, desfrutar das delícias que há
Quando se tem o amor, sentimento maior

Sabe lá, como é gostoso
ter a chama do viver
Saber que a vida é alegria
É o prazer
É ter o mundo aos nossos pés,
Eu e você

Sabe lá, o que te trouxe
nem eu mesma vou saber
Mas o destino insiste sempre
Em me querer,
Apaixonada eternamente por você

Bateria: Paulo Braga
Baixo: Jorjão
Guitarra: Vitor Biglione
Teclados: Wagner Tiso
Harmonica: Milton Guedes
Programação de teclados: Ricardo Leão
Arranjo de base e cordas: Wagner Tiso
Quem vem de lá, o que nos traz?
Quem vem de lá, que gente é?
Quem vem de lá, vem é de paz?
Quem vem de lá sabe o que quer?
 
Traz a farinha
Traz é o peixe
Traz é o pão
Que quer dividir
 
É gente nossa
Homem, mulher
Espelho de nós
Mistério e fé
 
Quem vem assim vestido de céu?
Quem vem assim filho de Deus?
Luz na manhã, cor no papel
Flor no jardim, fruta no mel
 
Traz na viagem
Sonho, esperança
pra alimentar
quem quer resistir
 
É gente amiga
Homem, mulher
Estrela, farol
na noite do mar
 
Sei que enquanto amar
a vida me valerá
gostar pra mim é o ar
que busco na atmosfera
É o princípio e é o fim
Eu quero tocar
eu quero saber
qual é a mais bela verdade que há
 
Quem vem de lá, que mares cruzou?
Quem vem de lá, que povo que é?
Quem vem de lá, o que nos traz?
Quem vem de lá sabe o que quer?
 
Traz a farinha
Traz é o peixe
Traz é o pão
que quer dividir
 
É gente nossa
Homem, mulher
espelho de nós
mistério e fé
 
Traz na viagem
Sonho, esperança
pra alimentar
quem quer resistir
 
É gente amiga
Homem, farol
estrela, farol
Na noite do amor
 
Baixo, guitarra e violão de aço: Jamil Joanes
Teclados: Wagner Tiso
Pandeiro: Ovídeo
Surdo: Baiano
Contra-tempo: Wilson das Neves
Xequere, Congas: Cidinho
Detalhes, Congas: Mingo
Repique: Corélio
Arranjo: Mazzola